Ana Ni Ribeiro

0
848
views

Nasci em março de 1979, no dia 4, e fui batizada Ana Isabel Ribeiro, nome que se mantém no BI e na cédula profissional. Mas fui rebatizada Nini, pelo meu irmão, nome que adotei e que foi adotado pelo meu blog – ‘A Nitricionista’.

Fui uma criança gorda e feliz. Esse excesso de peso e, mais tarde, um princípio de anorexia – malditas dietas ioiô –, moldaram o meu futuro profissional. Também por isso sou nutricionista. Então, desenvolvi a minha dieta, que partilho nas minhas consultas, no blog e agora também em livro. A Minha Dieta é o meu primeiro livro.

Nasci com quase quatro quilos, era uma bebé “fofinha”. À medida que comecei a crescer deixei apenas de ser fofa e passei a ser mesmo gordinha. Já adolescente entrei no caminho das dietas iô-iô, com todas as frustrações que isso implica. O resultado foi dramático: aos 18 anos pesava 41 quilos e tinha um princípio de anorexia.

A faculdade acabaria por me dar uma mão. Formei-me em Biologia Aplicada e mais tarde em Ciência da Nutrição. E entre um curso e o outro, no meio de tantos afazeres, comecei a desenvolver uma dieta eficaz– a que agora partilho nas consultas e ainda no blog.

Quando entrei na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, ainda fazia investigação em microbiologia na Universidade do Minho. Havia dias em que não sobrava tempo para nada, por vezes nem para comer corretamente.

Nessa altura percebi que no dia-a-dia agitado e caótico que acabamos por viver é fundamental seguir um plano simples e prático. Consegui manter o peso conquistado com uma dieta fácil de cumprir, com os alimentos de sempre e sem passar fome. Mesmo com uma vida social bastante exigente, nunca mais voltei a engordar. Só consegui verdadeiramente perder peso e mantê-lo quando reaprendi a comer, quando me senti motivada e tive os conselhos certos.

Quanto mais estudo, mais acredito que a solução passa por reaprender­mos a comer e pela ausência da fome. Saciedade é a palavra-chave. Quando se tem fome é impossível fazer escolhas sensatas e ponderadas. Uma coisa é entrar numa pastelaria sem ter apetite; outra, bem diferente, é chegar já cheia de fome.

E a receita é muito simples: nunca, mas nunca passar fome. É assim que vivo, há anos, tenho o peso certo e sem oscilações (e nunca abdico do pão, nem de um bom copo de vinho). Estar sempre saciada, porém, exige ciência, conhecimentos de nutrição, alguns truques e cuidados. E também para isso lancei o livro. Para revelar detalhadamente o plano alimentar, como pô-lo em prática, os alimentos certos e as melhores horas para os comer, e as receitas mais indicadas para as diferentes refeições.

Para contrariar a ideia que a comida saudável deve ser feia e saber mal, e que fica mais cara e demorada de cozinhar do que junk food vou recomeçar a fazer workshops de cozinha.

Trago sempre o norte no coração, corre-me a pronúncia nas veias, mas é em Lisboa que faço aquilo de que mais gosto: ensinar a comer. Cozinho para mimar os que me são mais queridos e tenho uma máxima: em equipa tudo é mais fácil, até ser feliz.

Faço consultas online.

Presença online: Blog | Facebook | Instagram | Twitter

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here